4 Mitos sobre queda de cabelo

Atualmente, é possível  implantar um grande número de cabelos utilizando modernas técnicas de microimplantes, obtendo um resultado natural através de uma simples intervenção com anestesia local e rápida recuperação.

Nos casos em que a perda de cabelo é importante ou quando as técnicas de estimulação capilar não são suficientes, é possível realizar técnicas microcirúrgicas que possibilitem a recuperação estética dos cabelos em pacientes com alopecia em áreas localizadas. O cabelo saudável do paciente é implantado na área doente.

Este cabelo mantém as características originais, que nunca se perdem, pelo que não sofrerá a alopecia androgenetica. Sendo células da pessoa que as recebe, não há rejeição.

Atualmente, existem duas técnicas diferenciadas para reimplantar cabelos perdidos. O primeiro deles consiste na realização de microtransplantes foliculares de uma tira de escalpo (FUT).

Esta técnica consiste em obter uma tira de pele da nuca, com cerca de dez a vinte centímetros de comprimento e 0,5 cm de profundidade, a partir da qual são obtidos os folículos saudáveis.

A incisão é suturada de tal forma que é coberta pelos cabelos das áreas superior e inferior, de modo que não é perceptível a qualquer momento. Nas áreas em que o cabelo deve ser implantado, são feitas microincisões nas quais os folículos previamente extraídos são inseridos.

4 Mitos sobre o cabelo

Mito 1 : O cabelo cai

Ao contrário da crença popular, o cabelo não cai, mas se torna progressivamente mais fraco em cada ciclo até se tornar um cabelo fino e imperceptível. Quando no próximo ciclo ele não nasce diretamente, ele está enfrentando um problema de calvície.

Mito 2: Comer certos alimentos fortalece o cabelo e impede sua queda

O cabelo, como a pele e as unhas, está em constante renovação e seu metabolismo e regeneração são sensíveis a déficits nutricionais. No entanto, as causas da perda de cabelo devido a deficiências nutricionais são inferiores a 1% e também ninguém demonstrou de forma fiável a eficácia de determinados alimentos ou o seu tempo de resposta para combater o enfraquecimento do cabelo.

Outra possibilidade consiste na extração de unidades foliculares (FUE), que consiste no implante capilar de unidades foliculares extraídas por microincisões de menos de um milímetro.

Não é necessário, portanto, a extração de toda uma tira de pele, nem sua sutura subseqüente, para que cicatrizes não sejam valorizadas e a recuperação seja praticamente imediata.

O número de implantes que podem ser obtidos é menor do que com a técnica da tira, de modo que cada paciente deve ser bem selecionado para a técnica apropriada.

Mito 3: Qualquer um pode receber um transplante de cabelo

Todo paciente deve ser avaliado de forma individual pelo cirurgião interveniente, pois o transplante é a última fase de um tratamento médico. Alguns critérios básicos orientam se um transplante capilar é indicado (ou não) por uma certa perda capilar.

Idade : Pacientes jovens (18-25 anos) não são bons candidatos porque a perda de cabelo começou recentemente e continuará a progredir no futuro. Então, fazer um transplante cedo demais pode levar a uma má distribuição dos cabelos, já que o cirurgião nunca sabe exatamente quanto cabelo será perdido nos anos seguintes.

Sexo : A distribuição da calvície em homens e mulheres é diferente. Nos homens, as áreas alopécicas são mais localizadas do que nas mulheres, onde a distribuição é mais difusa em toda a cabeça. A maioria dos homens são bons candidatos, exceto aqueles com cabelos finos difusos. A maioria das mulheres não são boas candidatas, exceto em casos de perda em áreas bem localizadas.

Extensão da perda capilar : quanto maior a estabilização da perda capilar, melhor será o resultado, já que o cirurgião colocará o cabelo nas áreas corretas.

Tipo de cabelo : Um cabelo grosso com uma grande quantidade de melanina dará uma maior densidade e ficará melhor depois de um transplante. O cabelo encaracolado também dará uma aparência de densidade maior do que um reto.

Mito 4 : Lavar o cabelo todos os dias ou ter caspa promove a queda

A verdade é que a lavagem só ajuda a soltar os cabelos que já estão na fase de queda e que cairá de qualquer forma. Enquanto isso, a dermatite seborréica, popularmente conhecida como caspa, pode estar associada em alguns casos à alopecia androgenética, mas não causa perda de cabelo.

Leave a Comment